Opinião | O Príncipe Cruel

Autora: Holly Black
Editora: Topseller
Ano de Publicação: 2020
Género: Fantasia
Nº de Páginas: 398

SINOPSE

«Passaram dez anos desde que Jude e as irmãs foram raptadas pelo assassino dos seus pais e levadas para Faerie — o reino das fadas. Jude sente um verdadeiro fascínio pela beleza destes seres mágicos e imortais, mesmo sabendo que também são malévolos e impiedosos, e continua a sonhar em pertencer a este mundo encantado.

Mas o povo das fadas despreza mortais e, para se tornar cavaleira e receber um lugar na Corte, Jude tem de arriscar a sua mortalidade e desafiar o príncipe Cardan, o filho mais novo e mais cruel do Rei Altíssimo. O príncipe odeia Jude e tudo fará para se ver livre dela. Tudo!

É então que Jude se envolve nas intrigas e atividades de espionagem do palácio, acabando por descobrir o seu próprio talento para derramar sangue. E quando o seu sonho está prestes a tornar-se realidade, o destino de Faerie fica por um fio, obrigando Jude a fazer uma inesperada e perigosa aliança para salvar as irmãs e o reino que tanto a rejeita.

As fadas não são de confiança,
Mesmo quando dizem a verdade…»

Aviso de conteúdo: esta história aborda temas sensíveis como violência, abuso sexual, bullying, suicídio, entre outros que podem ativar algum tipo de gatilho emocional.

Este livro foi um desafio. 

As primeiras páginas cativaram-me, mas a meio voltei a perder-me, não sei bem se pelo ritmo lento da história, se pelo universo complexo que é apresentado de forma demasiado abrupta. Foi uma daquelas leituras em que precisei de me forçar a chegar até ao fim.

«Olho para os pés e não digo nada.
Nós, crianças, não somos esquecidas.»

A história tem lugar dez anos depois de Madoc, uma fada sanguinária, ter assassinado os pais humanos de Jude e a ter levado, juntamente com as suas irmãs, para Faerie, o reino das fadas, onde os seres mágicos que lá habitam não são propriamente grandes fãs dos humanos.

Lembrou-me uma espécie de Morangos Com Açúcar Sobrenatural, de episódios colegiais com bullying, romance e intrigas. Só mais para a frente é que o enredo principal começa a ganhar destaque e nos conseguimos aprofundar nos engodos políticos de Faerie. 

«— Estou cansada de me preocupar — digo. — Porque devo fazê-lo?
— Porque podem matar-te!
— Espero que o façam — digo-lhe. — Porque qualquer outra coisa não funcionará.»

No que diz respeito a personagens, não gostei muito da protagonista e não consegui ver as restantes como mais que uma receita típica de personagens clichês dos livros de fantasia, com excepção, talvez, da Vivi, que foi uma das únicas de quem consegui gostar. Há uma insinuação de romance muito desinteressante, uma espécie de relação de amor ódio entre duas das personagens centrais que acabou por se revelar uma aposta muito fraca.

Apesar de o enredo ter começado mal, fez-se valer pelas últimas páginas, onde a cada capítulo surgia uma nova revelação, e foi isso, e apenas isso, que me deu vontade de comprar o próximo volume para ver como as coisas vão continuar.  

Capa: ★★★★★
Enredo: ★★★☆☆
Escrita: ★★★☆☆
Personagens: ★★★☆☆
Avaliação Final: ★★★☆☆

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.