10 Coisas que Aprendi em 1 Ano de Bookstagram

Hoje o Quem Me Lera faz um ano de existência. 

Uau.

Sem dúvida que ao criar a página nunca me passou pela cabeça que fosse ganhar tanta importância na minha vida. Este ano foi uma autêntica jornada, mas ainda mais porque a pude fazer ao lado de uma comunidade tão incrível que me acolheu e ensinou tanta coisa. A todos vocês que me acompanham neste projeto, um grande obrigada por me apoiarem em algo que gosto tanto de fazer.

E agora cá estão 10 coisas que aprendi no bookstagram:

1. Há sempre alguma coisa a acontecer

A comunidade de bookstagrammers é constituída por pessoas de todos os tipos e feitios, todas elas com ideias brilhantes e projetos interactivos que procuram dinamizar a forma como encaramos os livros e a leitura. Somos tantos que dificilmente haverá um período em que não esteja nada a acontecer, seja um desafio de leitura ou um projeto para partilhar fotos.

2. As editoras precisam de nós mais do que nós precisamos delas

Escrevam isto. Sei que muitas vezes os números parecem indicar o contrário, mas a realidade é esta. Um bookstagrammer acaba por ser muito mais do que um simples leitor – é escritor, crítico, publicitário, criador de conteúdos, “influencer”… a contribuição é tanta que se torna significativa. Não são as parcerias com editoras que valorizam uma conta, porque no fundo são elas que mais precisam de nós e do trabalho que fazemos diariamente para promover hábitos de leitura.

3. No Bookstagram, tal como na vida, dás o que recebes

O Bookstagram é uma comunidade e uma comunidade é feita de pessoas que se entreajudam. Há muitas formas de fazer isto, seja pelas ditas parcerias ou por simplesmente comentar e partilhar uma publicação que alguém fez com que nos identificamos. Temos todos que estar aqui uns para os outros, porque no final do dia, o apoio que damos é o apoio que recebemos.

4. Não existe isso de tirar fotos a mais

Esta é uma das dicas que mais me tem valido. Nem todos os dias são propícios a fotografar. Pode estar nevoeiro, podemos ter dificuldades técnicas, pode até cair um meteoro, por isso é sempre bom aproveitarmos quando temos as condições para tirar várias fotos para vários posts, e ainda deixar umas quantas de reserva.

5. Existem no mundo duas entidades super-poderosas capazes de salvar vidas: profissionais da saúde e filtros

Acreditem, não importa o quão feia a foto pode estar, vai sempre existir um filtro que a pode salvar.

6. Cuidado com os giveaways

Esta aqui é importante. Os giveaways são como os abraços, é preciso ter intimidade com a pessoa antes de a envolver. Acreditem, não há nada mais irritante do que receber diariamente notificações de pessoas com quem nunca falaste na vida que te marcam em giveaways.

7. O clichê é real: os livros unem as pessoas

A Mariana (Banal Girl) já fez um vídeo a falar sobre isto, mas é sempre bom reforçar. Tudo o que consegui alcançar com o Quem Me Lera este ano, todas as pessoas que conheci, todas os projetos que desenvolvi, foi graças aos livros. É pelo amor aos livros que aqui estamos e é pelo amor aos livros que continuamos a trabalhar, todos os dias, para alavancar esta comunidade.

8. Se não estiver no Pinterest é porque não existe

Ah, o Pinterest… não sei se vocês se lembram do Noddy, costumava passar na RTP todos os finais de tarde, e uma das personagens era a Dina, que tinha uma loja onde vendia absolutamente tudo. O Pinterest é um pouco como a loja da Dina, só que sem pagar. Podem encontrar lá tudo, desde inspiração para fotos a receitas inspiradas em personagens de livros (nunca procurei, mas tenho a certeza que existe).

9. Ter seguidores é fácil, ter uma comunidade dá trabalho

Esta foi uma das primeiras coisas que aprendi. No Bookstagram não há realmente nada mais fácil do que ganhar seguidores. Existem os grupos de divulgação, parcerias, a troca de likes, o “seguir em troca de me seguires”… as opções são inúmeras. Mas sabem o que realmente dá trabalho? Construir uma comunidade de pessoas que realmente seguem o teu trabalho porque se identificam contigo e com o teu conteúdo. Os números importam, sim, mas não mais que a essência, porque os números são o que atrai as pessoas, mas a essência é o que as faz ficar.

10. Há sempre alguém que vai precisar das tuas ideias

É normal sentir aquele nervoso miudinho antes de publicar alguma coisa. Eu acredito que todo o conteúdo que produzimos deve de alguma forma representar aquilo que somos, e esse tipo de exposição nunca é fácil. No entanto, uma das coisas que aprendi nesta comunidade é que vai sempre existir alguém que vai precisar das tuas ideias. Existem milhares de contas na comunidade de bookstagrammers, mas apenas uma como a tua. Todos nós somos diferentes e todos nós temos algo novo e só nosso a acrescentar.

2 replies
  1. Bárbara Ribeiro
    Bárbara Ribeiro says:

    Muito bom post, como uma caloirinha do bookstagram relacionei-me com muito do que falaste, sente-se uma certa pressão para se ser como o nosso bookstagrammer preferido mas a verdade é que é preciso tempo para lá chegar!

    Responder
    • Elga Fontes
      Elga Fontes says:

      Muito obrigada! Ahahah, é verdade, mas o importante é que faças conteúdo que se identifique contigo e com aquilo em que tu acreditas 🙂

      Responder

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.